Harmonização de vinhos: 5 dicas para jantares apimentados

19 de setembro de 2017
|

Harmonização de vinhos é o tipo de coisa chique, que todo mundo queria saber fazer, mas — cá entre nós — pouca gente conhece de verdade. A sorte é que geralmente dá pra se passar por connaisseur (com biquinho e tudo!) com algumas dicas básicas e pratos mais ou menos neutros. Só que quando a gente se depara com algo menos convencional, a coisa aperta.

Pois você tem ideia de como combinar vinhos e comidas apimentadas? Então, se ligue no nosso post e não tenha nem dúvida na próxima vez em que for chamar os amigos para curtir suas especialidades picantes com uma boa taça da bebida de Dionísio! Vem com a gente:

Fuja dos vinhos tânicos

Sabe aqueles vinhos que de tão adstringentes parece que secam a boca toda e até te fazem fazer careta no primeiro gole? Essa sensação é causada pelos taninos, substâncias presentes na casca das uvas — em umas mais do que em outras — e que ficam mais fortes conforme o vinho envelhece.

Até aí, tudo bem, mas o problema é que combinar taninos com pimenta dá em um amargor muito forte, podendo estragar tanto o vinho quanto o seu prato. Na dúvida, fuja destes aqui: Tannat, Cabernet Sauvignon, Baga e qualquer um envelhecido em barris de carvalho, ok? Por outro lado, Pinot Noir está mais do que autorizado, pois tem pouquíssimos taninos!

Apague o fogo com vinhos refrescantes

A pimenta dá mesmo uma sensação de calor — tem gente que fica até se abanando depois de um bom chipotle, não é? Mas você sabia que essa é outra dica quando o assunto é a harmonização de vinhos com pratos picantes?

É só pensar nos mais refrescantes para acertar em cheio: brancos e rosés bem geladinhos são ótimas pedidas! Só deixe de lado o Chardonnay, que apesar de ser branco, é tânico e pode deixar as coisas mais amargas do que você gostaria.

Prefira os vinhos docinhos ao invés dos secos

A pimenta ajuda a diminuir a doçura, por isso os pratos picantes harmonizam super bem com vinhos doces e frutados. Além disso, a acidez é ótima para destacar outros sabores da comida, evitando anestesiar a língua e criando uma explosão de paladar! Precisa de sugestões? Uvas alemãs como Riesling e Gewürztraminer dão conta do recado.

Mais pimenta, menos álcool

Calma, não estamos dizendo que você vai ter que beber menos se a comida estiver muito apimentada. A dica aqui é só de reparar bem no teor alcoólico do vinho que você escolher. Isso porque o álcool já é meio ardido na boca, concorda? Pois combinado com a pimenta, a coisa toda pode ficar tão forte que só sendo dragão para apreciar!

Combinando texturas: aposte no espumante!

A picância, para quem não sabe, é bem mais uma sensação do que um sabor, ou seja: tem mais a ver com tato que paladar. Sendo assim, uma combinação sensacional é a pimenta com o espumante: além de poder ser docinho e gelado — já atendendo às nossas dicas anteriores —, as bolhas da bebida criam uma sensação indescritível na língua (e no cérebro!). Que tal experimentar?

Agora você já conhece os segredos da harmonização de vinhos com a comida apimentada, mas quem disse que pimenta e bebida só se combinam aí? A gente separou ainda 4 receitas de drinks fodásticos com pimenta para você. Bora dar uma olhadinha antes de decidir o menu da próxima festa na sua casa?

© COPYRIGHT | DE CABRÓN CHILLIS. Material protegido pela Lei nº 9.610 (direito autoral), é proibida a cópia ou reprodução do material, sem autorização prévia. Envie para sac@westco.com.br com pedido de autorização.