Assim como a busca por um estilo de vida mais saudável, com prática de esportes, meditação a alimentação natural, muita gente acabou deixando de lado o uso de remédios no dia a dia e, não por acaso, um assunto que cresce cada vez mais é a utilização de óleos essenciais e aromaterapia.

A aromaterapia é uma técnica natural que utiliza o aroma e as partículas liberadas por óleos essenciais para estimular diferentes partes do cérebro, o que causa uma resposta em todo o corpo, trazendo o resultado esperado.

Existem óleos para combater praticamente tudo, desde insônia, depressão, resfriado, até rugas, questões de aparência e pensamentos limitantes – tudo de maneira natural. Mas atenção, saúde não é brincadeira, por isso existem profissionais habilitados em aromaterapia ou naturopatia para orientar na escolha dos óleos essenciais.

Além dos óleos essenciais básicos, as marcas ainda têm seus blends com misturas especiais, poupando o trabalho de fazer combinações para potencializar os efeitos. Mas, nossa intenção hoje é te ajudar a montar uma “farmácia” natural básica então…

Confira 10 óleos essenciais que você precisa ter em casa:

Alecrim: cansaço mental, falta de memória, dificuldade de concentração, dor de cabeça, enxaqueca, dores musculares e dores articulares.

Bergamota: pode ser usado nos momentos de estresse, já que relaxa e acalma a mente e o coração ansioso. Por auxiliar no entendimento das emoções e dos nossos conflitos internos, essa substância também ameniza os distúrbios de ansiedade. Ainda pode se útil no tratamento de infecções da pele e má digestão.

Camomila: Excelente calmante, sedativo e anti-inflamatório, útil em problemas como conjuntivites, dores reumáticas, nervosismo, insônia e até atua como vermífugo.

Canela: ajuda a controlar o açúcar no sangue, atua no cansaço físico ou mental, tonturas, irritabilidade, dor de cabeça, falta de concentração, cólicas menstruais e dificuldade em relaxar. Super potente contra bactérias difíceis de tratar.

Eucalipto: problemas respiratórios, dor de cabeça, enxaqueca, dores musculares, febre e tensão muscular. Pode ser utilizado em receita de pasta de dente natural também.

Jasmim: Acalma os nervos e estimula as emoções por penetrar no plano emocional de forma delicada, porém profunda, sobretudo quando empregado na massagem. Consegue restaurar a confiança, o otimismo, a energia e a vitalidade. É um poderoso afrodisíaco, atua em problemas respiratórios, excesso de estresse, depressão e tensão muscular.

Lavanda: excesso de estresse, dor de cabeça, resfriados, insônia, irritações na pele e problemas respiratórios.

Limão: atua com a falta de concentração, ansiedade, excesso de estresse, falta de energia, sistema imune enfraquecido, dor de cabeça, má digestão, detox do organismo e febre.

Tea tree ou melaleuca:  estimula a circulação e o sistema imunológico, melhora crises respiratórias como resfriado, bronquite, sinusite, infecções da boca e garganta (gengivas inflamadas, dores de dente, aftas). Auxilia no combate à acne, além de ser benéfico contra seborreia, caspa, herpes labial, infecção por fungos, micoses, verrugas, pé de atleta e mau cheiro nos pés.

Ylangue-Ylangue: potente contra a ansiedade, excesso de estresse, dor de cabeça, náuseas, pressão alta, problemas
intestinais e na redução no crescimento de pelos.

E como usar os óleos essenciais?

Há diversos modos de utilizar os óleos essenciais, vamos às mais comuns:

Inalação

Desta forma, as propriedades desses óleos chegarão diretamente ao nosso sistema nervoso central o qual irá processar as informações e enviar sinais para todas as partes do corpo o quais irão executar as informações recebidas. Por exemplo, em um processo infeccioso, utilizamos a inalação de óleo de limão e tea tree, o cérebro receberá a informação para ativar a resposta imune do corpo ativando as células de defesa (glóbulos brancos principalmente) às quais se encaminharão para o local da infecção, restaurando a saúde do corpo.

Inalação por difusão: pode ser feita com um difusor de aromas frio – que mantém as moléculas dos óleos essenciais no ar intactas durante horas – ou de calor, que necessitam de temperatura controlada entre 50°C e 60°C, para não alterar a composição química dos óleos. Na inalação por difusão é recomendado utilizar de cinco a 20 gotas, dependendo da concentração do óleo.

Inalação direta: trabalha diretamente o humor e as emoções. Basta segurar o frasco de óleo essencial próximo do nariz ou pingar de uma a três gotas nas palmas das mãos, esfregar, aproximar do nariz em forma de concha e aspirar.

Algodão ou difusor pessoal: você também pode pingar poucas gotas de óleo essencial em um algodão, fronha do travesseiro, pano ou em um colar difusor pessoal para ir inalando ao longo do dia ou noite.

Na pele

Quando utilizamos os óleos aplicados sobre a pele, eles serão absorvidos e atuarão no local desejado. É importante utilizar um carreador como os óleos vegetais para facilitar a absorção e evitar que o óleo essencial evapore antes de cumprir o seu objetivo.

Ingestão

O uso interno diretamente na boca, misturado em água, cápsula ou na comida e sucos é uma forma de internalização dos óleos essenciais. Mas somente os óleos essenciais 100% puros podem ser utilizados dessa forma e, atualmente, apenas duas marcas garantem este tipo de atualização em alguns dos seus óleos ou blends. Se informe antes de usar e o faça com acompanhamento.

E aí curtiu? Conta pra gente se você já conhecia ou utiliza os óleos essenciais no seu dia a dia.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

 

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.