Um dos assuntos mais comentados na internet desde o começo do ano é a atitude machista dos homens em relação às mulheres. Muitos hábitos e comentários que estão enraizados no cotidiano, que até pouco tempo eram comuns e pouco causavam espanto, hoje despertam discussões e questionamentos.

Isso se deve ao crescimento do feminismo e empoderamento das mulheres, que deixaram de se calar frente a preconceitos e diminuição de suas capacidades perante os homens.

Há quem odeie, mas o programa Big Brother Brasil trouxe grande discussão sobre o tema, uma vez que parece que escolheu a dedo os #machosescrotos desta edição. Uma leva de mulheres esclarecidas e dispostas a lutar fez a diferença e trouxe o tema à tona. E pudemos ver até mesmo uma delas (Bianca Andrade) agindo em defesa dos homens, sendo mais uma vítima do sistema machista imposto desde sempre – por mais que as colegas falassem, ela simplesmente não conseguia enxergar.

A edição teve até mesmo casos de assédio, que deverão ser esclarecidas pela polícia, como o caso de Pyong, que, bêbado em uma festa, tentou beijar Marcela, se esfregou em Flayslane e passou a mão em Gizelly… tudo isso com a esposa prestes à dar a luz fora do reality. Na cobertura do carnaval na RedeTV, o repórter Dudu Camargo passou a mão nos seios da cantora Simony, e disse que queria “procriar com ela”. Isso até ultrapassa a definição de macho escroto…

Então, caso você esteja aí refletindo sobre as atitudes que têm tido com as mulheres, elaboramos um guia com 5 dicas para não agir como um machista, vá aprendendo:

Lembrando que isso não te fará menos homem, muito pelo contrário.

  1. Não interrompa uma mulher

Pode ser que você nunca tenha notado, mas é muito comum o hábito de interromper uma mulher no meio de alguma explicação ou opinião. Faz pouco tempo que as mulheres têm direito a expor o que pensam, a tomar decisões da casa ou criação dos filhos, trabalhar fora, votar, entre tantas outras coisas. Por isso, é tão cultural desconsiderá-las que é possível que você nem note.

Isso funciona assim: uma mulher está falando e, antes de terminar, é interrompida por um homem, que com muita confiança passa a explicar para ela e aos outros presentes o que ela estava dizendo.

Atualmente tem-se até mesmo nomes para isso: mansplaining e manterrupting.

O mansplaining acontece quando um homem explica coisas óbvias à mulher, como se ela não fosse intelectualmente capaz de entender algo. O manterrupting acontece quando homens interrompem falas de mulheres. No Brasil criamos o Macho Palestrinha, termo que se refere a este tipo de homem – que interrompe e ainda quer dar palestra.

Então, quando uma mulher estiver falando, deixe ela terminar o que está dizendo, para então, depois, perguntar ou expor seu ponto de vista. Lembrando que se ela estiver falando algo sobre o universo feminino, algo do qual você não entende na prática, não opine.

O que leva à dica 2:

Não discorde, julgue ou opine sobre algo que ela relata passar como mulher

Não importa o quanto você ache que sabe ou entende, por que simplesmente não é uma mulher para saber. O fato é que elas não se sentem seguras andando sozinha pelas ruas ou até mesmo em um grupo com as amigas pelo shopping. Tudo pode acontecer.

Nos relacionamentos, no trabalho, na faculdade, inúmeras situações podem ter acontecido e é comum, ao expor esta vulnerabilidade, que algum macho escroto diga que sabe o que ela passa, que com ele aconteceu tal situação – que geralmente nem chega perto, ou que dê alguma opinião referente a isso como “mas o que você fez pra merecer que o cara te fizesse isso? Que roupa estava usando? Ou pra levantar o dedinho e dizer “epa, mas nem todo homem…”.

Vocês nunca saberão o que é ser uma mulher e realmente estar nas situações relatadas. Por isso, boca fechada não entra mosca.

  1. Não é não

A frase parece óbvia e tá na boca do povo, mas será que você realmente aceita um não?

É muito comum que, ao levar um fora, um macho escroto:

– tente agarrar à força

– pergunte se ela é lésbica por não querê-lo

– ache que ela tava dando mole, só porque tava sendo legal, por isso tá fazendo c* doce

– aja com grosseria pela rejeição

– diga “você nem é tão bonita assim, tá se achando”

Portanto, simplesmente aceite a escolha dela e continue a vida, meu amigo. Se ela mudar de ideia, te avisa depois.

  1. Corrija os amigos machistas

Não é porque algo está disfarçado de humor, que deixa de ser preconceituoso. Muita gente acaba concordando e dando risada de algo escroto que o amigo disse só pra não se sentir excluído ou perder a amizade, mas a hora de provocar a reflexão e trazer mudanças é justamente esta.

Quando algum amigo compartilhar nudes, diz que tal mina é pra casar, outra pra transar, julga porque teve filho e tá na balada, ou qualquer outra coisa que se um homem estivesse fazendo seria normal, corrija ele.

Pouco a pouco as coisas podem mudar e isso pode começar por você, dando dicas para a categoria não agir como um machista.

  1. Repense as seguintes frases e ainda vamos te explicar o porquê

“Você deve estar naqueles dias…” – quando as mulheres discordam de alguma coisa, não querem fazer algo ou estão bravas, os homens tendem a dizer esta frase. Elas certamente têm algum motivo, e muito provavelmente não é a TPM. Dialogue ao invés de dar justificativa.

“Mas isso é coisa de homem” – o que é coisa de homem? Futebol? Diga isso pra Marta, eleita por seis vezes a melhor jogadora do mundo e tantos outros talentos que sequer foram reconhecidos e ganham muito menos do que os “craques” da televisão. Temos mulheres pedreiras, motoristas de caminhão e tantas outras profissões estigmatizadas como masculinas. E elas vão muito bem, obrigada.

“Você é tão linda de rosto, se emagrecesse um pouco…” – e quem disse que ela não se sente linda por inteiro? Muitas mulheres também cometem o erro de dizer esta frase, que magoa demais. Você não tem nada a ver com a aparência, peso e roupas dos outros. Guarde sua horrível opinião pra si.

“ah…se eu tivesse dinheiro” – oi? Se você tivesse dinheiro poderia ter qualquer mulher deste mundo? Quando você diz isso, ofende e muito, pois um relacionamento não pode ser construído somente com isso. E adivinha só? As mulheres também trabalham e batalham e podem ter seu próprio dinheiro. Aqui não, violão.

“Não use esta roupa, vai chamar muita atenção” – ta aí um comentário que mostra que os homens acham que podem fazer o que bem entenderem com uma mulher. Ela não se veste pra chamar a sua atenção, mas para se sentir linda consigo mesma. Nenhum decote ou saia “curta” te dá permissão pra por a mão onde quiser ou ficar olhando igual um animal passando fome.

“Sente como uma mocinha, feche as pernas”, “menina não pode falar palavrão” e “olha, já pode casar” – muito dos condicionamentos começam ainda na infância e demandam muito trabalho e relacionamentos abusivos para que uma mulher possa entender no futuro que não merece certas situações. Se você é pai, repense o que tem dito à sua filha, e lembre-se, todos devem ser criados como seres humanos, não de acordo com o sexo. O cuidado a mais deve ser direcionado com relação a abusos, como denunciar, como se posicionar perante preconceitos e por aí vai.

Poderíamos ficar aqui por décadas, mas por hoje é só.

Dê paz pras minas.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

 

 

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.