Autor

Chincho Cabrón

Browsing

No dia 10 de julho comemoramos o Dia da Pizza, muito embora nós, brasileiros, tenhamos o hábito de celebrar a data quase toda semana. Que ela é deliciosa em todas as suas variações, entre salgadas e doces, todo mundo já sabe, mas de onde surgiu essa belezinha? Vem que a gente te conta de onde vem a pizza e, hora que bater a larica, você ainda vai ter essa receita super fácil para fazer no liquidificador.

Mas que besteira, cabróns. Sabemos que a pizza vem da Itália…

Mamma mia! Elas podem até ter se popularizado como conhecemos por lá, mas foi a seis mil anos que a história da massa redonda com cobertura, assada em um forno começou.

De onde vem a pizza então?

Chamada de “pão de Abrahão” ou “piscea”, se tratava de uma fina camada de massa comum na alimentação dos hebreus e egípcios. Já três séculos antes de Cristo, os fenícios começaram a adicionar carne e cebola como recheio.

Durante as Cruzadas, os Turcos se encantaram pela receita, e levaram até o porto de Nápoles, na Itália, onde a preparação foi enriquecida com farinha de melhor qualidade e o tão querido queijo. Isso aconteceu por volta de 1520, quando o Brasil ainda era um bebê.

O clássico tomate, que muita gente não dispensa, só entrou na receita no século XVI, quando saiu da América e chegou por lá. Mas só foi ao término da Segunda Guerra Mundial, em 1945 que os norteamericanos popularizaram a pizza por aqui.

E porque se chama pizza?

A palavra “pizza” vem do latim piscea, que é um objeto torrado pelo fogo, mas o termo apareceu pela primeira vez em um texto latino na cidade de Gaeta em 997 AC. A publicação conta que uma determinada pessoa devia a outra pessoa “duodecim pizze” ou traduzindo, doze pizzas.

Os líderes de consumo de pizza no mundo são: Estados Unidos, Brasil, França, Itália e Austrália.

Aqui a coisa é tão séria que há até uma Associação de Pizzarias Unidas, que já divulgou que produzimos, em média, 1 milhão de pizzas por dia, sendo metade consumida somente pelo estado de São Paulo. Mas o número pode ser ainda maior em tempos de aplicativos de entrega.

Agora que já dichavamos a danada, vamos à receita da pizza no liquidificador, pra você que tá com fome e pouca paciência na quarentena:

Para fazer a massa

INGREDIENTES

1 xícara (chá) de leite

1 ovo

1 colher (chá) de sal

1 colher (chá) de açúcar

1 colher (sopa) de margarina

1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo

1 colher (sobremesa) de fermento em pó

1/2 lata de molho de tomate

Sugestão de Recheio:

250 g de mussarela ralada grossa

2 tomates fatiados

azeitona picada

orégano a gosto

(mas você pode fazer com o que quiser, palmito, frango, catupiry, brócolis, etc)

MODO DE PREPARO

No liquidificador bata o leite, o ovo, o sal, o açúcar, a margarina, a farinha de trigo e o fermento em pó até que a mistura se torne homogênea.

Despeje a massa em uma assadeira para pizza untada com margarina e leve ao forno preaquecido por 20 minutos.

Retire do forno e coloque o molho de tomate.

Cubra a massa com mussarela ralada, tomate e orégano a gosto (ou seus ingredientes favoritos)

Leve novamente ao forno até derreter a mussarela.

Se quiser deixar ainda mais delicioso, adicione algum molho DECABRÓN. As sugestões são o Barbecue Porco Moiado, Sriracha Tradicional, Ketchup Caipira e até o molho de pimenta Papai Noel Morreu 2019, que voltou para nosso estoque por tempo limitado.

E aí? Seu dia vai terminar em pizza?

 

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

Se tem uma coisa que vimos (e até cansamos) em tempos de isolamento social, foi transmissões ao vivo. Tem sido tanto conteúdo que fica até difícil acompanhar com notícias, músicos, saúde, treinos em casa e por aí vai.

Pela falta de planejamento e experiência, muita gente acabou pagando mico em uma live e até se complicando com as autoridades, como o caso dos sertanejos Gusttavo Lima e a dupla Bruno e Marrone que abusaram do álcool durante suas transmissões e foram advertidos pelo Conar. Sem contar os palavrões e o papelão de estar bêbado ao vivo e em cores. Bruno chegou a chorar e rendeu muitos memes.

Teve também a Ludmilla, que caiu na piscina enquanto cantava, a repórter que o marido apareceu atrás da câmera pelado, filhos que interromperam entrevistas com gritaria e até a cantora Kelly Key deixando seguidores chocados ao ensinar Gracyanne Barbosa e Belo como se faz sexo anal.

Ufa né? Quando o ano começou a gente nem imaginou que passaria por tudo isso, muito menos que a internet poderia aproximar ainda mais as pessoas de um modo tão íntimo. Por isso, se você pretende investir nas lives de qualidade é bom se certificar de algumas coisas.

Veja nosso guia com 6 dicas pra não pagar mico em uma live:

  1. Certifique-se de ter uma boa conexão

Se sua live começar a cair ou a travar, as pessoas vão embora, então providencie uma internet de boa qualidade.

A velocidade que importa na hora de fazer uma transmissão é a de upload, que transporta seus dados para os outros. O ideal é que estejam disponíveis pelo menos 5 Mpbs de upload lives simples.

Outro detalhe é que o Wifi tem taxas menores de transmissão de dados, sem contar interferência de outros aparelhos e paredes, por exemplo. O ideal é que seu aparelho esteja conectado via cabo de rede

Pra medir a velocidade da internet, você pode usar o Speedtest.

  1. Prepare o local

Além de se certificar que a família, gatos e cachorros estejam bem longe enquanto grava e mandar as crianças pra casa da sogra, escolha um ambiente com um fundo agradável, sem muita informação.

Pode ser uma estante de livros, uma parede colorida ou branca mesmo, mas confira mil vezes se não tem nada vergonhoso no quadro da câmera, como a cama bagunçada ou sex toys – que vão tirar completamente o foco do que você está dizendo.

  1. Monte um roteiro

Não adianta contar só com as ideias que você tem na cabeça, porque ao vivo podem haver distrações, acabar saindo do foco e perdendo audiência quando perceberem que você está nervoso ou enrolando.

Organize os tópicos em ordem de prioridade e o que é importante dizer, de modo que ao ler alguma palavra se lembre de todo o conteúdo. Não vá ficar lendo, hein?

  1. Capriche no equipamento

Além de um bom celular ou câmera, dê preferência por usar fones de ouvido com microfone ou compre algum microfone adaptado para o celular, para que o som fique o mais limpo para seus espectadores. Acessórios simples também ajudam a iluminar seu rosto, deixando a imagem mais bonita e sem sombras.

  1. Divulgue

Utilize as redes sociais para divulgar sua live com antecedência, independente da plataforma em que for transmitir. Faça uma arte com sua foto, o tema, dia e horário, para facilitar o compartilhamento. Deste modo, pode atingir pessoas que ainda não te conhecem e podem se identificar com o conteúdo

  1. Interaja com o público

Em um primeiro momento você pode ignorar os comentários pra não perder o foco e abrir para perguntas depois, ou, se der conta, vá respondendo conforme fala, mas de forma alguma ignore quem está ali te prestigiando. Quanto mais interagir, mais chance desta pessoa continuar te acompanhando no futuro.

E aí, curtiu as dicas pra não pagar mico em uma live?

 

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

 

 

 

A temperatura começou a cair em diversas regiões do país e, com a entrada do inverno no dia 20 de junho, a tendência é que fique cada vez mais difícil esquentar os pés.

Além de reforçar as meias, por duas calças e tirar a cacharrel mofada do guarda-roupa, essa é a hora em que todo mundo lembra de pedir pra mãe preparar aquela sopinha né? Mas como sair da tradicional sopa de legumes ou mandioca no inverno?

Pra isso você tem a nós, meu cabrónzinho. E não precisa pedir pra mamãe não. Garanto que se você botar a mão na massa vai sentir até calor! Já postamos aqui uma sopa de quatro queijos no pão italiano que é de cair o queixo, confira aqui. Se é das pimentas, veja também essa receita de chilli con carne.

Mas hoje vamos te ensinar 6 receitas pro inverno que vão te esquentar de uma vez por todas. E sem ser sopa!

  1. Picadinho de carne ao vinho

    (Foto: Blogdosvinhos)

    (Via TudoGostoso)

INGREDIENTES

3 colheres de sopa de óleo

2 dentes de alho bem picados

2 cebolas médias picadas

1 kg de patinho ou alcatra em cubinhos

1 folha de louro

sal e pimenta a gosto

1/2 xícara de chá de purê de tomate

4 xícaras de chá de água

2 cubinhos de caldo de carne

1/2 xícara de vinho tinto seco

500 g de cebolas bem pequenas

1 pimentão verde picado

MODO DE PREPARO

Aqueça o óleo e refogue a cebola picada e o alho. Junte os cubinhos de carne, o louro, a pimenta e deixe dourar. Acrescente a água e os cubinhos de caldo de carne até de dissolver bem, adicione o purê de tomate, o vinho e o pimentão. Misture bem e deixe cozinhar por 30 minutos.

Coloque as cebolas pequenas e cozinhe por mais 10 minutos e está pronto.

  1. Polenta cremosa com linguiça calabresa

(Via Perdigão)

(Foto: MdeMulher)

Ingredientes

Calabresa ao molho:

3 gomos de linguiça cortados em cubos pequenos

1/2 cebola descascada e cortada em cubos pequenos

2 dentes de alho descascados e amassados

5 tomates cortados em cubos

1 pitada de açúcar

Polenta:

2 xícaras (chá) de fubá pré-cozido

4 xícaras (chá) de água (mais quanto baste para hidratar o fubá)

Pimenta do reino branca moída a gosto

1 colher (sobremesa) de sal

1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo

Em uma panela refogue a linguiça, acrescente a cebola e o alho e deixe dourar.

Acrescente os tomates e cozinhe até que eles desmanchem. Adicione o açúcar e reserve.

Polenta:

Em um recipiente coloque o fubá e cubra-o com água (o suficiente para cobrir todo o fubá), deixe hidratando por aproximadamente 20 minutos.

Ferva a água com a pimenta e o sal, adicione o fubá hidratado e misture sem parar por aproximadamente 20 minutos até que engrosse, mantendo o fogo baixo. Reserve.

Montagem:

Forre o fundo de um refratário que possa ir ao forno com a calabresa ao molho; cubra com uma camada de polenta e salpique o parmesão ralado.

Leve para gratinar em forno alto (240°C) por aproximadamente 15 minutos, até que fique dourado. Sirva quente.

  1. Moqueca de banana da terra

(via TudoGostoso)

(Foto: Marieta Ferreira)

INGREDIENTES

2 tomates grandes picados em cubinhos, sem pele e sem semente

1 cebola média cortada em rodelas finas

1 dente de alho amassado

Colorau

Azeite

Sal

2 bananas da terra grandes, cortadas em 3 partes cada uma

1 maço de coentro

Água

MODO DE PREPARO

Leve a panela de barro ao fogo. Refogue no azeite, a metade da cebola, o alho e o colorau.

Acrescente metade do tomate, refogue bem e espalhe pelo fundo da panela. Depois, coloque as bananas e cubra com o restante do tomate, da cebola e do coentro, arrumando bem.

Tampe a panela e deixe que ferva até que as bananas estejam macias, sempre verificando a água e acertando o sal, se necessário.

  1. Lasanha de Berinjela com Queijo

(via TudoGostoso)

(Foto: TudoGostoso)

INGREDIENTES

3 berinjelas grandes

1 lata de molho de tomate

1 maço de coentro cortado e pedaços pequenos

azeitonas sem caroço cortadas

300 g de queijo mussarela fatiado

300 g de presunto fatiado

2 colheres de azeite

Queijo catupiry

MODO DE PREPARO

Corte as berinjelas em fatias finas, no sentido do comprimento.

Em uma assadeira retangular refratária, coloque no fundo, as duas colheres de azeite e um pouco de molho de tomate.

Coloque então uma camada de berinjela. Cubra com molho de tomate, salpique com azeitonas e coentro. Em seguida, coloque uma camada de presunto. Acrescente uma camada de berinjela, cubra com molho de tomate e por cima coloque uma camada de queijo mussarela. Repita por mais duas camadas.

Coloque por cima da última camada queijo catupiry a gosto e cubra a assadeira com papel alumínio.

Leve ao forno em temperatura de 180º graus por cerca de 30 minutos, para cozinhar. Após isso, retire o papel-alumínio e deixe por mais 5 a 10 minutos para gratinar e sirva.

  1. Tomate Recheado

(via TudoGostoso)

(Foto: TudoGostoso)

INGREDIENTES

6 tomates maduros

1/2 colher de chá de sal

6 dentes de alhos fatiados

3 colheres sopa de azeite

2 xícaras e meia de chá de pão italiano em cubos

1 xícara de chá de queijo parmesão ralado

1 colher de chá de orégano

Modo de Preparo

Corte uma tampa dos tomates e deixe o interior oco. Polvilhe o sal dentro e escorra.

Doure o alho em 1 colher sopa de azeite. Retire e reserve.

Na mesma frigideira, frite o pão, transfira para uma vasilha e misture o queijo, o orégano, e o alho reservado. Recheie os tomates, e regue com uma colher e meia de sopa de azeite.

Coloque em uma assadeira untada com o resto do azeite e asse por 15 minutos.

  1. Camarão na Moranga

(via TudoGostoso)

(Foto: TudoGostoso)

INGREDIENTES

1 kg de camarão médio

4 colheres (sopa) de azeite

2 dentes de alho

1 cebola

5 tomates sem sementes

sal e pimenta-do-reino a gosto

1 lata de creme de leite sem soro

300 g de requeijão cremoso

1 moranga

cheiro-verde a gosto

3 colheres (sopa) de ketchup

MODO DE PREPARO

Retire a tampa e as sementes da moranga.

Lave e enrole-a em papel alumínio e leve ao forno médio (180° C) por 45 minutos.

Em uma panela, aqueça o azeite e refogue o alho e a cebola, junte o camarão e deixe cozinhar por 5 minutos. Adicione os tomates picados, a pimenta, o sal e o ketchup.

Desligue o fogo e acrescente o creme de leite e o cheiro-verde. Misture bem e adicione por último o requeijão.

Passe um pouco de requeijão no interior da moranga e despeje o creme de camarão.

Obs. Você pode substituir o camarão por frango, carne-seca, palmito ou cação.

Não deixe de fazer essas receitas pro inverno! E aí, qual vai ser a de hoje?

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

Fazer um bom churrasco é uma arte que vai muito além de jogar um sal grosso na carne, espetar e meter fogo. Além das inúmeras técnicas que temos hoje como o american barbecue, parrilla, fogo de chão, varal e das formas de temperar a bonita, ainda precisamos ficar atentos aos acessórios imprescindíveis pra esse momento.

Mas não adianta botar a cerveja pra gelar, o fogo na brasa e ir pegar a faca de legumes da gaveta da cozinha né? Um bom mestre churrasqueiro tem suas próprias armas! É nessa hora que bons utensílios vão determinar se você é um amador ou um profissional na arte de churrasquear.

Mas se você ainda não tá ligado no kit completo pra surpreender a família e os amigos, saca só essa lista básica de acessórios para churrasco que todo mestre churrasqueiro precisa ter:

#1 Avental e luvas

Esses utensílios não vão interferir no resultado da sua carne, mas com certeza são mais higiênicos do início ao fim e evitam xingamentos de quem vai lavar sua roupa.

Luva nitrílica pra um churras mais higiênico. (Divulgação Descarpack)

Se você assiste à vídeos de profissionais de churrasco, pode ver que sempre estão com luvas pretas, que chamam luvas nitrílicas. Além de serem bonitas e passarem uma imagem profissa, elas são confeccionadas em borracha três vezes mais resistentes que o látex e são ideais para aplicações que exijam os mais altos níveis de limpeza e proteção dos produtos. Elas podem ser lavadas e reutilizadas e são ótimas para manipular alimentos secos e molhados, mas atenção: ela não foi feita para manuseio em altas temperaturas, então tome cuidado ao menor sinal de queimadura e troque o par imediatamente. Sem mãos não têm churrasco!

#2 Tábua certa pra cada finalidade

Jamais use tábuas de vidro, pois elas fazem com que a faca perca o corte. Prefira as de madeira ou plástico, mas não utilize a mesma para lidar com as carnes cruas e com as assadas. Se for cortar legumes, tenha ainda outra tábua, para evitar a contaminação cruzada.

Na hora de servir use a de madeira, pois além de favorecer o corte, elas deixam a carne mais apresentável. É um trabalho só: fatiar e servir.

Quanto ao tamanho, muita gente opta pela média pela sua funcionalidade, mas para servir carne, é necessário que seja um pouco maior para comportar os pedaços sem que caiam no chão.

#3 Facas adequadas

Existe uma faca certa para cada situação:

Para carnes maiores – evita que você serre a peça, o que compromete as fibras e a estética.

Para desossar – é o ideal para separar a carne do osso e tirar a gordura.

Para cortes menores – uma maior precisão e firmeza nos assados.

Trinchante fio liso –  para fazer cortes precisos em carnes vermelhas e aves assadas que não possuem camada externa resistente. Pode ser utilizada com roast beef, peru, pato, frango e embutidos.

Trinchante –  com fio serrilhado. Lâmina longa e levemente curvada na ponta, é ideal para trinchar carnes e aves assadas, como costela, panceta e leitão à pururuca .

Facas para carne grande, para desossar, para carne menor, trinchante fio liso e trinchante com fio serrilhado. (Divulgação Tramontina)

#4 Afiador

Com o tempo, as façam podem perder seu corte e existem diversas formas de fazer sua manutenção:

Pedra – indicado para quando a faca está “cega”, sem corte. A movimentação sempre deve começar próxima ao cabo e ir subindo em direção à ponta.

Afiador – a indicação é posicionar o fio da faca sobre o plano do afiador, mantendo um ângulo de 20º. O movimento deve ser para frente e para trás em sentido diagonal do afiador.

Chaira – a do tipo estriada alinha o fio com mais facilidade, já a lisa traz um acabamento mais suave e sem rebarbas. Para os mais profissas, pode ser utilizada primeiro a estriada, com acabamento na lisa.

#5 Pinças, garfos e pegadores

Para fazer um churrasco profissa, você precisa investir nos acessórios para churrasco. Nada de usar os garfos da cozinha pra lidar com a carne, senão você vai acabar se queimando. Além deste fator óbvio, os garfos acabam furando a carne, o que faz escorrer o suco e a deixa seca e sem suculência. Prefira os garfos específicos pra churrasco.

Tenha também pegadores para manusear a carne e outro para o carvão, para evitar contaminar o alimento e evitar acidentes.

 

Depois de comprar esses itens, partiu temperar a carne, botar pra assar e socar porva no moio!

Implantação de chips no corpo que permitem abrir a porta de casa com um toque, bebês imunes à AIDS e até um corpo musculoso sem praticar exercícios. Este é o Fantástico Mundo dos Biohackers.

Em constante crescente nos Estados Unidos devido a leis mais flexíveis, o biohacking acontece desde manipulações feitas em garagens até startups do Vale do Silício e vem causando polêmica e levantando a discussão: será que podemos brincar de Deus?

A prática consiste no “hackeamento” da configuração natural do corpo humano, animais e plantas em busca do aprimoramento de alguma característica ou cura e prevenção de doenças. Entre as gigantes tecnológicas, a área mais promissora é a longetividade e bilhões estão sendo investidos para prolongar a vida humana.

O executivo Dave Asprey, que atuava na área de segurança digital é um dos adeptos da autoexperimentação para melhorar o próprio corpo e a mente, buscando formas de viver até os 180 anos. Uma das empresas da Alphabet (que detém o Google) recebeu fundos de bilhões para estudar uma forma de frear o envelhecimento.

Biohackers de garagem

O método Crispr (que corta uma parte do DNA) é a principal maneira de se manipular informações genéticas e tem como defensor o controverso biofísico Josiah Zayner, CEO de uma empresa chamada The Odin. Sem permissão para exercer práticas médicas, ele está sob investigação das autoridades da Califórnia.

Tudo porque Zayner ficou mundialmente conhecido após vender para cidadãos comuns kits “faça você mesmo” de experimentação genética em plantas, animais e até humanos. Ele entrou pros holofotes em 2017, quando, em um auditório lotado com transmissão ao vivo injetou em si mesmo o DNA da ferramenta de edição genética CRISPR-Cas9, com o objetivo de desenvolver mais músculos em seu braço.

O efeito desejado seria a inibição do gene miostatina, que diminui o crescimento dos músculos. Até hoje, não houve evidências de que o biohacker conseguiu atingir o resultado, mas ele mesmo afirmou que foi um ato simbólico, e que a quantidade injetada não faria diferença.

O fato de aplicar em si mesmo experiências é permitido pela agência regulatória americana (FDA), mas o envio de kits e pesquisas não autorizadas preocupa as autoridades. Enquanto isso, para Zayner, a distribuição da tecnologia é um serviço social, que permite às pessoas e pesquisadores desenvolver curas e inovações, já que o governo cobra caríssimo pelas tecnologias de ponta e até por planos de saúde básicos.

Vale tudo em nome da ciência?

O documentário Seleção Artificial mostra o trabalho de Zayner e outros biohackers e leva a uma reflexão ética sobre o tema. O mais preocupante acontece quando a startup Ascendance Biomedical compra os kits do biofísico para fazer experimentos com um homem soropositivo.

O objetivo seria aplicar a tecnologia Crispr com anticorpos N6 e reduzir a carga viral do “cobaia” Tristan Roberts, que assumiu os riscos mesmo sabendo que o vírus poderia sofrer mutações. Isso inviabilizaria sua cura quando a pesquisa estivesse concluída.

Roberts após fazer o exame de sangue, com Aaron Traywick, CEO da Ascendance Biomedical. (Reprodução/BBC)

Com divulgação em vídeos ao vivo da aplicação das injeções e do resultado de exames, o jovem voluntário teve um aumento viral, o CEO da empresa morreu durante um tratamento alternativo e Zayner viu o tamanho da responsabilidade que tem nas mãos distribuindo os kits e incentivando biohackers.

Bebês de laboratório

A inseminação artificial dá a pesquisadores a chance de manipular o DNA humano, alterando genes, corrigindo problemas genéticos, deficiências, prevenindo doenças e até vindo a permitir no futuro que os pais escolham o sexo, a cor dos olhos e até o QI dos seus bebês.

Em 2018, um médico chinês declarou ter sido o primeiro a modificar geneticamente duas meninas gêmeas, que nasceram naquele ano. He Jiankui disse que alterou um gene nos embriões antes de implantá-los no útero da mãe, com o objetivo de tornar os bebês resistentes à infecção pelo HIV. No entanto, nenhum estudo foi publicado, nem evidências foram apresentadas que provem que ele realmente fez isso.

A prática de alteração genética de embriões foi proibida em diversos países, inclusive nos Estados Unidos, mas na China havia brechas na regulamentação que permitiram a experiência, embora uma centena de pesquisadores tenham repudiado a atitude do médico e a classificado como louca e insana.

Ele afirmou que não houve qualquer efeito colateral nas crianças, mas a preocupação da comunidade médica é a mutação dos descendentes e que isso abra precedentes para produção desenfreada de “superbebês” desenvolvidos para atividades atléticas ou intelectuais, ao invés da tecnologia ser utilizada para prevenção de condições médicas que seriam irreversíveis após o nascimento.

No final do ano passado o médico He Jiankui foi condenado a três anos de prisão e multa pela experiência.

Tecnologia na pele

Conhecidos como grinders, estes são os biohackers que incorporam tecnologias em seus corpos, como o professor de cibernética Kevin Warwick, que implantou um sistema de radiofrequência em seu braço para apagar e acender luzes com um estalar de dedos.  Com milhares de adeptos nos EUA, há casos de implantes para ligar carros, recarregar cartões de transporte público, fazer pagamentos e destrancar fechaduras.

Tem até mesmo um biohacker que implantou uma antena na cabeça para transformar as cores em sons na sua mente; outro, coloca uma substância no olho para enxergar no escuro qualquer objeto a 50 metros de distância. O Fantástico fez uma reportagem com eles.

Neil Harbisson se autodenomina um ciborgue e implantou uma antena na cabeça. (Reprodução/Globo)

De fato, além da preocupação com as cobaias, há a incerteza do que essas modificações podem causar no futuro e nas próximas gerações. Por isso, o tema ainda deve ser alvo de discussão por muitos anos na classe médica e tecnológica.

Mas quem sabe a gente encontra algum Exterminador do Futuro por aí…

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

A pandemia chegou de forma inesperada e acabou cancelando os planos de muita gente pra 2020. Até agora, o que não faltou foi feriado, Netflix e comilança, e, dia 12 de junho tá chegando pra aprontar mais uma: o Dia dos Namorados.

O que dar de presente? Como agradar o crush em uma data desta em dias tão atípicos?

Por isso, selecionamos 5 ideias para surpreender neste Dia dos Namorados, caso você esteja perdido.

Lembrando que estamos em quarentena e, se você, está isolado sem o cobertor de orelha, dá pra surpreender também via chamada de vídeo. O importante é não deixar passar em branco e #ficaremcasa.

  1. Prepare o ambiente

Lógico que amamos ir em restaurantes ou algum lugar especial, mas as noites em casa podem ser muito mais românticas. E não temos muita escolha agora, né?

Todo mundo já enjoou de ficar em casa, de andar por ela, pensar na vida, notar o que precisa consertar… então é hora de fugir da rotina.

Por isso, separe um ambiente agradável onde planeja comemorar e comece a preparar tudo.

Se você tiver uma área externa pode aproveitar esse momento ao ar livre, até mesmo no inverno. Se você mora em um lugar que faz frio, pode colocar almofadas, cobertores e pequenas luminárias. Já pensou um fondue à luz de velas acompanhado  de um bom vinho? Romântico demais.

Se for fazer dentro de casa, também pode usar velas coloridas dentro de recipientes de vidro, que dão um charme a mais. Aproveite a ocasião pra imprimir aquelas fotos que nunca saíram do celular e espalhe pela mesa em portas retratos ou direto na toalha, com luzes em volta.

Você também pode pendurar as fotos pelo caminho até a mesa com fitas pregadas no teto ou fazer um varal de fotos com um barbante e pregadores.

Se você mora com seus pais, monte todo esse clima no seu quarto que também vai ficar legal.

  1. Capriche na montagem da mesa

Com uma toalha de mesa bem bonita, velas, pratos combinando e um arranjo de flores, não têm como errar.

Você também pode espalhar pequenos vasinhos, ou flores únicas em garrafinhas coloridas, que fica uma graça.

Na hora de montar os pratos, lembra do Masterchef e faça uma bela apresentácion como se o chef fosse te eliminar do programa se você  falhasse!

  1. Play na vitrola

Com o ambiente pronto e a mesa posta, só falta a música. Apesar de cada pessoa ter um gosto, tem músicas que não tem como errar e, em volume baixo, criam todo um clima pro casal.

No Spotify tem algumas playlists para o Dia dos Namorados, com música de cantores como Anavitória, Ed Sheeran, John Legend, Sam Smith, Lagum, Rubel e tantos outros românticos.

Se você quiser fazer mais bonito ainda, faça sua própria playlist para o dia, com as músicas favoritas do crush e aquelas que marcaram a história do casal.

  1. Manda ver no rango

Depois de tudo isso, tem que representar na comida, né? Opte por algo que possa deixar pré-pronto para fazer na hora, como um medalhão de filé mignon ou algo que só precise colocar no forno pra finalizar.

Risotos e massas recheadas que vem prontas também são uma boa opção.  Temos algumas receitas legais aqui no Blog, que valem a pena pro Dia dos Namorados.

Se vocês forem fitness, tem 3 receitas de saladas com grãos que mais parecem um prato feito. Tem também fingers food pra comer com nossos molhos, que você pode usar como aperitivo, churrasco vegano e vaca atolada, que é uma delicia no inverno. Se quiser, veja a seção completa de receitas aqui do blog.

  1. Capriche no presente

Por último e não menos importante, vem o presente…aquele regalo que vai fazer a diferença e que tem significado pros dois.

Aproveite pra fortalecer um pequeno comerciante da sua cidade, que pode estar passando apertado na quarentena ou compre na internet, para receber a encomenda na segurança da sua casa.

Se você for esperto, já lança um kit DECABRÓN pra usar no jantar!

Aqui vão algumas ideias:

Combo Molhos para hambúrguer – caso o crush seja louco por uma lanchão com tudo que tem direito.

Combo 5 molhos Barbecues – para os loucos por defumados e churrasco.

Combo Frango Frito Douradinho –  se vocês forem fã de boteco, do frango frito da avó ou dum frangão no balde, esse é o kit! Vai do tempero ao molho.

Combo Sriracha – pra aqueles que curtem um sabor de bacon, alho, agridoce e goiabada.

Lifestyle – tem bonés DECABRÓN e pra churrasco lovers, além de uma caixa pra defumação em casa.

Soca porva no môio e bota fogo nesse relacionamento! Se quiser, saiba como usar a pimenta como afrodisíaco aqui.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

Há muito tempo os grãos e leguminosas têm sido protagonistas na alimentação da humanidade. Além de complementar a dieta, eles podem auxiliar na diminuição de peso e prevenção no aumento do colesterol, prisão de ventre, regulam o intestino, entre muitos outros benefícios.

O indicado pelos profissionais da saúde é que se consuma uma colher de sopa a cada refeição principal do dia, e, hoje, já temos muitos deles na forma de grãos, óleo ou farinha, o que ajuda na hora de diversificar.

Os principais grãos e leguminosas indicados para o consumo atualmente são:

Chia

Aliada no emagrecimento, por sua capacidade de “inflar” e ocupar espaço no estômago, ainda controla a pressão, o humor, auxilia no tratamento de câncer de mama, reduz diabetes e deixa a pele mais viçosa.

Linhaça

Regula o intestino, controla a ansiedade e a inflamação em células de gordura e ainda estimula os hormônios responsáveis pela sensação de saciedade.

Quinoa

Considerado o alimento mais completo de origem vegetal, é rica em fibras, auxilia no funcionamento intestinal, diminui os sintomas da TPM e é uma ótima fonte de vitaminas E, D e do complexo B.

Grão de bico

Contém ácido fólico, vitaminas C, E, K, cálcio e fósforo, nutrientes essenciais para diversas funções importantes do organismo. Além de auxiliar no funcionamento do intestino, evita picos de glicose no corpo e aumenta a sensação de saciedade. Essa é a salada com grãos mais popular entre os brasileiros.

Amaranto

Auxilia na perda de peso, reduz o nível de colesterol, fortalece os ossos e combate o envelhecimento precoce.

Soja

Rica em proteínas, ajuda a emagrecer, auxilia a redução nos níveis de colesterol ruim, atenua efeitos da menopausa e na perda de massa óssea.

Você pode acrescentar os grãos às frutas, sucos, iogurtes, sopas e tudo aquilo que tiver vontade. Mas se tem uma coisa que fica gostosa, é incrementar as salada com grãos. E ainda melhor, se você usar nossos molhos no tempero.

Confira 3 receitas de salada com grãos pra ficar com a boca salivando (e de barriga cheia):

1. Salada turbinada de vitaminas com quinoa, grão de bico e molho Barbecue Mustard Old Gold

Ingredientes

1 xícara de chá de quinoa cozida
3/4 xícara de chá de grão de bico cozido
6 tomates cerejas cortados ao meio
Folhas de manjericão picadas
2 colheres de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de vinagre balsâmico
1 colher de chá de suco de limão
Sal e pimenta a gosto

Raspas de limão siciliano

Barbecue Mustard Old Gold a gosto

Modo de Preparo

Coloque a quinoa, o grão de bico, os tomates e o manjericão em uma tigela e misture. Cubra a salada com o tempero e misture. Espere de 20 a 30 minutos antes de servir para “pegar” o tômpero, como diria o Jacquin.

 

 

2. Salada com grãos da sustância: soja, legumes, molho de ervas e molho Barbecue Porco Moiado

(adaptado de Panelinha)

Ingredientes

1 xícara (chá) de soja em grão

1 folha de louro

⅓ de xícara (chá) de iogurte natural

⅓ de xícara (chá) de maionese

1 colher (sopa) de hortelã picada

1 colher (sopa) de manjericão

1 cebola

½ cenoura

1 talo de salsão

1 colher (sopa) de azeite

½ xícara (chá) de vinho branco seco

½ xícara (chá) de salsinha picada

1 tomate

sal a gosto

Molho Barbecue Porco Moiado a gosto

Modo de preparo

  1. Numa tigela, coloque os grãos de soja e cubra com o dobro de água. Deixe de molho de um dia para o outro.
  2. Numa peneira, coloque os grãos e lave sob água corrente. Transfira-os para uma panela média. Cubra com bastante água, junte o louro e leve ao fogo alto. Quando começar a ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 1 hora e 30 minutos com a panela tampada. Escorra a água, descarte o louro e deixe esfriar.
  3.  Numa tábua, pique em cubinhos a cebola, a cenoura e o salsão. Reserve. Pique as folhas de hortelã.
  4. No liquidificador, bata o iogurte, a maionese, a hortelã picada, o manjericão e o suco de limão. Tempere com sal.
  5. Numa frigideira, aqueça o azeite em fogo médio. Quando esquentar, acrescente a cenoura, o salsão e a cebola picados. Refogue por 3 minutos. Adicione o vinho e deixe cozinhar em fogo baixo por 5 minutos. Transfira os legumes para um prato e leve à geladeira.
  6.  Com uma faca afiada, faça um X na base do tomate. Coloque-o numa panela com água quente por alguns segundos. Em seguida, mergulhe-o numa tigela com gelo e água fria. Puxe a pele do tomate como se fossem quatro folhas. Corte-o ao meio, retire as sementes e pique-o em cubinhos.
  7.  Numa tigela, misture delicadamente a soja, os legumes, o tomate, a salsinha, o molho de iogurte e o Porco Moiado. Sirva imediatamente.

 

 

3. Salada tamanho família com linhaça, grão de trigo e molho Sriracha Tradicional

Ingredientes

3 colheres de linhaça

2 copos de trigo em grão

6 copos de água

1 pimentão caseiro

10 folhas de alface

1/2 cenoura ralada

1 maço de (pequeno) de cheiro verde

1 colher de sobremesa de sal marinho

1 colher de mel

1 limão siciliano

Óleo de gergelim torrado

1 colher de shoyo

Molho Sriracha Tradicional a gosto

Modo de preparo

  1. Deixe o trigo e a semente de linhaça de molho, na quantidade de água indicada e junte também o sal na água por 12 horas.
  2. Coloque em uma panela de pressão, e, quando começar a ferver, deixe em fogo baixo por mais 30 minutos e desligue.
  3. Em uma tigela, decore o prato com a alface, depois coloque a linhaça, o trigo, o pimentão em tiras, a cenoura ralada, o cheiro verde, junto com o mel, limão, óleo de gergelim, shoyo e apimente com nosso Sriracha. E tá pronto.

Se fizer alguma das saladas, marca a gente pra passar vontade.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

Se você acompanhou de perto a trilogia Matrix, com certeza já notou que as coisas que aconteciam nos filmes não eram tão viagem assim perto do que o mundo real está se tornando. E o que dizer sobre a comida do futuro então?

Ao viver no mundo ilusório criado pela matrix, as pessoas se alimentavam de uma comida farta e saborosa, mesmo que virtual, e, depois de despertos, mudavam para uma alimentação processada e sintetizada focada somente na nutrição do corpo.

Aqui, na real life, o prazer de comer está cada vez mais em destaque, e a variedade de opções e de estilos alimentares cresce a cada dia. Com o aumento no número de veganos, vegetarianos, dietas à base de plantas, preocupação com desmatamento, criação e abate de animais e tudo que envolve o tema, entramos em uma nova Era da alimentação.

Independentemente da motivação, há uma revolução em curso que pretende reinventar a produção e o consumo de proteína no mundo. Porém de uma maneira diferente do que mostrava a trilogia, porque aqui, além da nutrição, há a promessa de agradar a todos os paladares – não só os veganos.

Chamadas de carne do futuro, essas inovações tecnológicas no mundo da alimentação, prometem passar longe de abatedouros e trazer a qualidade natural totalmente produzida em laboratório.

Se você ainda não tem noção de tudo que tá rolando nesse mercado, separamos 3 provas de que entramos na Era da matrix alimentar, saca só:

  1. Hambúrguer de cultura celular

A startup holandesa Mosa Meats está desenvolvendo hambúrgueres a partir de pouquíssimas células de animais vivos. Funciona assim: um pedaço de tecido menor do que um gergelim é retirado por meio de biópsia, sem que haja dor ou abatimento do animal.

As células então são colocadas em uma solução para crescer e se multiplicar, formando exatamente o mesmo tecido que o animal, assim podendo ser comido sem crueldade e com exatamente o mesmo sabor.

O primeiro hambúrguer de cultura celular foi preparado e degustado ao vivo na TV pelo professor da Universidade de Maastricht e CEO da startup Mosa Meats, Mark Post em agosto de 2013. Dois anos depois, uma aceleradora investiu 50 mil dólares no empreendimento, com o objetivo de desenvolver um sistema 100% livre do uso de animais.

A expectativa é que os novos hambúrgueres cheguem aos supermercados ainda este ano, com sabores e texturas semelhantes à carne tradicional e a preços competitivos. Este é, sem dúvidas o maior obstáculo, mas que vem sendo vencido, já que o primeiro hambúrguer da startup custou 330 mil dólares para ser produzido, mas hoje chegou-se a um valor bem mais realista, equivalente a 40 dólares a unidade.

  1. Bill Gates está investindo nas carnes high techs

O objetivo deste mercado é tornar o preço tão competitivo como das carnes de abate, de forma que qualquer pessoa opte pelas produzidas em laboratório. E não faltam fundos de investimento de olho nesta tecnologia.

A Memphis Meat cultivou frango em laboratório. (Reprodução)

A New Crop Capital é uma delas, e investe, por exemplo, na Memphis Meats, que é sediada em São Francisco, na Califórnia. Em março do ano passado a startup promoveu a degustação de suas primeiras tiras de frango e pato cultivadas em laboratório. Em fevereiro de 2016, os caras já tinham produzido as primeiras almôndegas cruelty free.

À Exame.com, o fundador da companhia, Bruce Friedrich disse que “dentro de algumas gerações, o abate de animais para alimentação será extremamente raro no mundo desenvolvido. No lugar, entraria em cena a “carne limpa”, termo cunhado para designar a proteína cultivada em laboratório”. A meta da New Crop é investir pelo menos 5 milhões de dólares anuais na causa.

E se tratando de inovação, o bilionário fundador da Microsoft, Bill Gates, não poderia ficar de fora. Ele aplicou uma grande fatia na startup Impossible Foods, que fica no Vale do Silício, e está desenvolvendo bife, bacon, peixe, frango, leite e queijo à base de vegetais. O seu hambúrguer com sabor idêntico à carne já figura o menu de grandes restaurantes em Nova York, Los Angeles e São Francisco e até grandes redes, como Burger King e KFC. Falando em Burguer King, a Impossible Foods revelou na CES 2020, em janeiro, que além de carne de porco vegetal, ainda vai lançar este ano um produto similar à linguiça, que será vendido em sistema de testes em 139 restaurantes da rede.

O presidente executivo da Alphabet, empresa mãe do Google, Eric Schmidt também já estava de olho na tendência desde 2016, quando palestrou na Global Conference e afirmou que os substitutos da carne são umas das mais importantes tendências tecnológicas do momento. Deixem os carros autônomos pra lá, amigos.

  1. Até os brasileiros já caíram nas graças da carne que não é carne

Num país onde churrasco e carne são quase lei nas reuniões de família, as carnes sintéticas foram muito bem recebidas.

Lançados em maio do ano passado, os hambúrgueres da Fazenda Futuro, a primeira foodtech brasileira a criar um produto que emule a carne bovina no país, fizeram sucesso. Em poucas horas, todas as unidades disponibilizadas no lançamento se esgotaram. Hoje a marca é mais acessível e está em algumas redes de supermercados.

O hambúrguer do futuro tem como base a proteína de ervilha, proteína isolada de soja e de grão de bico. A beterraba foi usada para simular a cor e o sangue da carne. A “fazenda” promete reproduzir uma versão com valor nutricional muito próximo ao da carne vermelha e manter a quantidade da proteína, com baixo índice de gorduras.

Carne moída vegetal já pode ser encontrada no mercado brasileiro. (Reprodução)

Outro produto da marca que também fez sucesso é a “carne moída”, feita à base de plantas, mas que imita o sabor, textura e aparência da carne bovina. Se você é fã de macarrão com almôndegas, saiba que as belezinhas também já existem na versão vegetal.

Segundo entrevistas da empresa, mais de dois milhões de unidades já foram vendidas. E o preço? A média é de R$ 15 a R$ 20 por dois hambúrgueres.

No Brasil, também há opções do próprio Burger King (feito pela Marfrig), Bob’s, Seara. Sinal de que as grandes marcas também estão correndo atrás da inovação.

Com a sintetização da comida, será que no futuro comeremos em pílulas, assim como Neo? Eu não duvido.

Ah, e se for comer hambúrguer, seja de carne vegetal ou animal, soca porva no môio!

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

 

Desde que iniciamos a quarentena por causa da pandemia de Coronavírus, muitos de nós passamos a ficar mais tempo em casa. Longe das distrações da rua e do falatório dos colegas do trampo, muita gente estranhou o fato de ter que ficar sozinho consigo mesmo, com seus pensamentos e o silêncio que isso provoca – ou não, quando não se cuida da saúde mental.

Uma das grandes preocupações dos profissionais de saúde foi o possível aumento nos casos de depressão, ansiedade e suicídio, uma vez que, por mais que pareça que ficar de férias forçadas seja um sonho, a preocupação com a doença, os parentes, finanças e o excesso de pensamentos negativos, poderia aumentar as doenças psíquicas.

De fato, um levantamento da revista científica “The Lancet” mostrou que 31% dos entrevistados apresentaram depressão após a quarentena e outros 29% tiveram sintomas de estresse pós-traumático após o isolamento.

Se nós tivéssemos sido preparados para os desafios da vida moderna,  tido aulas como educação financeira, conhecimentos básicos de saúde e até mesmo desenvolvido melhor a capacidade de empatia, o quadro poderia ser diferente. Isso sem falar de um acompanhamento psicológico, que não, não é pra loucos, mas sim para todos que têm desafios na vida e precisam aprender a lidar com eles (e quem é que não precisa?).

A meditação tem sido um caminho de evolução para milhões de pessoas no mundo, e, não é a toa que os povos do oriente utilizam a milênios e sofrem bem menos de problemas psíquicos.

Pegando carona no Dia do Silêncio, que é comemorado em 7 de maio, trouxemos dicas para você começar a meditar , curtir o silêncio e a sua própria companhia:

Tenha um canto de paz na sua casa – crie um refúgio reservado para este momento, com um tapete ou cadeira para sentar, velas, incensos, cristais e, se possível, um altar com imagens de acordo com a sua crença. Se seu espaço for muito reduzido, não use isso como desculpa, porque ter um cenário não é essencial.

Prefira o início da manhã – se você fizer isso logo cedo, não inventará desculpas ao longo do dia para não meditar. Quando acordamos, estamos com o cérebro ainda trabalhando em ondas mais lentas, o que facilita a tarefa de concentração, respiração cíclica e a conexão com a espiritualidade. Sem contar as distrações de casa e da rua, que ficam bem menores. Também é possível fazer no período noturno, antes de dormir, mas fique sentado para não cair no sono.

Baixe apps – o ideal é que se medite sem músicas ou guias, para que voe, fique totalmente conectado ao presente. Se isso for um desafio pra você, existem dezenas de aplicativos gratuitos ou pagos para te estimular, como o Vivo Meditação, Zen, Meditopia, Calm, Lojong, Medite-se, Headspace, entre outros.

Foque na respiração – muita gente pensa que meditar é ficar sem pensar em nada. Quando, na verdade, se trata de deixar que os pensamentos fluam, sem se apegar, desenvolvê-los e entrar num ciclo eterno de “e se”. Basta deixar que venham e passem, fluindo pela mente. Vá respirando em ciclos e se concentrando neles. Vale até mesmo ir encostando o polegar dedo a dedo a cada inspiração e expiração. Assim você mantém o foco na tarefa.

Mantenha a coluna ereta – se possível, fique sentado na cadeira ou no chão em alguma posição que a coluna fique ereta. Além de facilitar a respiração, abrem-se os canais para que o fluxo de energia circule pelo corpo, possibilitando também a expansão de consciência.

Comece com poucos minutos – se não tem prática, medite por alguns minutos, ao invés de estipular um longo tempo e acabar desistindo pra sempre. Comece aumentando um minuto a cada dia até encontrar um tempo ideal pra você.

Pratique por pelo menos 21 dias – este é o tempo que nossa mente leva para adotar um hábito, então se esforce para ultrapassar este período. Se falhar algum dia, persista, pois os benefícios de meditar em longo prazo incluem diminuição do estresse, melhora da imunidade, do sono, das capacidades cognitivas e bem-estar.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

Não é novidade pra ninguém que as máquinas vêm substituindo os funcionários nas linhas de produção mundo afora. Mas, de uns anos pra cá, ouvimos cada vez mais falar de inteligência artificial e suas complexas funções capazes de, não só substituir o homem, como ainda fazer mais que nós e em bem menos tempo.

A maior preocupação quando se fala nesse assunto, é o déficit entre o número de desempregados versus vagas disponíveis. No Brasil o debate ainda engatinha, mas já temos computadores fazendo trabalhos no meio jurídico, auxiliando em cirurgias e na educação, com os robôs que dão aulas, corrigem e atualizam dados dos professores de carne e osso.

Nos bancos, os clientes necessitam cada vez menos de um contato físico com as agências, já que as financeiras investiram pesado em sistemas informatizados para atendimentos digitais no caixa eletrônico, pelo computador e aplicativos para smartphone.

Nas últimas décadas muitas profissões precisaram se adaptar e investir em formações que as capacitassem a lidar com as novas tecnologias, e, ao que parece, isso vai ter que acontecer para manter a competitividade no mercado de trabalho. Como nos casos acima, em que médicos e professores estão se adequando para dividir suas mesas de cirurgia e lousas com os robôs.

Vai-se embora cada vez mais a mão de obra operária e funcional, entram em cena profissionais com propósito, preparação e visão de futuro, que podem fazer o que as máquinas ainda não são capazes. Assim não há inteligência artificial que possa substituir o homem. Pelo menos por enquanto.

Listamos 3 novos tipos de tecnologia artificial que já estão substituindo o homem pelo mundo. Fique esperto se você realiza essas funções no seu trabalho:

  1. Robô repositor no Walmart

Sabe aqueles carinhas que estão sempre repondo produtos pelos corredores do supermercado? Em mais de 50 lojas do Walmart dos Estados Unidos, não é possível vê-los com muita frequência.

Isso porque a rede está implantando robôs que escaneiam as prateleiras e ajudam a reabastecer as gôndolas quando os produtos acabam. Com cerca de 60 centímetros, eles contam com câmeras que varrem os corredores do supermercado para verificar o estoque e identificar itens perdidos ou mal colocados, além de preços incoerentes e erros de rotulagem.

Os dados são transmitidos para os funcionários, que podem verificar e arrumar as prateleiras. É…isso o robô ainda não faz, mas análises da empresa mostram que as máquinas são 50% mais produtivas do que os humanos, além de fazer o trabalho de escaneamento com maior precisão.

Veja como o aparelho funciona neste vídeo:

  1. Secretária com o Google Duplex

O modo como se faz reservas em salões de cabeleireiro, restaurantes, agendamentos médicos, está mudando com um aparelho que a maioria de nós já temos: o celular.

O Google anunciou no ano passado o Google Duplex, uma inteligência artificial embutida no Assistente do smartphone que é capaz, por exemplo, de ligar para um restaurante e reservar uma mesa, alugar um carro numa viagem ou verificar um horário disponível para cortar os cabelos.

Além de ter uma voz comum, como se fosse uma pessoa real, o assistente é capaz de identificar as demandas pedidas na conversa e responder de uma forma que faz sentido. O sistema utiliza informações do Gmail para compreender melhor os padrões e gostos, tomando isso como base para tomar decisões e garantindo mais precisão na hora das escolhas.

É insano, dá um confere:

  1. Inteligência artificial nas entrevistas de emprego 

Chamada de HRtechs, as inteligências artificiais para seleção de empregados causam certa discórdia no meio dos Recursos Humanos.

Isso porque as seleções são formadas por uma plataforma de chatbots, que faz um “match” entre o perfil das empresas e dos candidatos, com base em seus valores pessoais e organizacionais. É uma espécie de filtro no início do processo seletivo.

E é aí que mora a preocupação, já que a máquina poderia absorver preconceitos dos responsáveis por ela ou fazer escolhas com base na frequência, como o que aconteceu na Amazon.

A inteligência artificial tomou como base as contratações dos últimos dez anos e identificou o predomínio de homens. Então começou a dar notas menores a currículos das candidatas, desclassificando com base no sexo.

Identificando as universidades dos currículos, a máquina poderia ainda acabar selecionando candidatos de uma classe social mais alta, que teve uma formação mais renomada.

Por isso, especialistas defendem a supervisão desses equipamentos, o que abre espaço aos profissionais humanos da área. Fato é que os gestores de Recursos Humanos terão que se adaptar às novas tecnologias e se encaixar de outra forma na posição.

O sistema já foi utilizado por empresas como Uber, Itaú, Danone, Reuters e Oi. No Brasil, a tecnologia leva o nome de Fernanda, então, se você se deparar com ela, já sabe – está sendo julgado.  Mas quem é que não é numa entrevista de emprego?

E você, acha que a inteligência artificial pode roubar o seu emprego? Conta pra gente.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa.