Existem figuras femininas incríveis em toda parte do mundo, mas as mulheres latinas conseguem se destacar. Talentosas e fortes, são marcantes para o mundo da música, das artes e da política — como uma boa pimenta é para o universo gastronômico.

Estamos falando de moças ousadas e arrojadas, donas de si, que contabilizam grandes feitos. Bateu a curiosidade? Então, confira quatro delas!

#1 Frida Kahlo: uma das mulheres latinas mais fascinantes

A pintora mexicana provavelmente é uma das primeiras mulheres latinas de projeção internacional que vêm à cabeça. Nascida em Coyoacan em 1907, Frida era apaixonada pela arte folclórica indígena de seu país e explorava essa influência.

Considerada por alguns estudiosos como expoente do Surrealismo, Kahlo dizia que tal afirmação não fazia sentido porque não pintava sonhos, mas sim a realidade que a cercava. Engajada politicamente — patriota, comunista e revolucionária —, defendeu o resgate da cultura asteca como forma de oposição ao sistema imperialista europeu.

É conhecida por seu estilo único e irreverente, além dos autorretratos, 55 ao todo, que compõem a maior parte de sua obra. Frida encontrou nas adversidades da vida a força para produzir seus quadros expressivos, carregados de cores, quer ver?

Começou a pintar depois que sofreu um acidente aos 18 anos, no qual fraturou a coluna vertebral. Teve poliomielite na infância, passou por três abortos e viveu um relacionamento tumultuado com seu marido, o também pintor Diego Rivera. Morreu em 1954, de embolia pulmonar. Vida agitada — e brilhante!

#2 Mercedes Sosa: mistura potente entre música e política

Argentina nascida em 1935 em um lar de trabalhadores, Mercedes Sosa é eternizada como uma das mais famosas cantoras da América Latina. Apelidada de “La Negra” por conta de seus longos cabelos pretos, Sosa ostentava uma poderosa voz de contralto e apostava em um repertório que unia lirismo ao protesto político.

Teve seu primeiro contato com a fama aos 15 anos, idade com a qual ganhou um concurso de talentos promovido pela rádio de San Miguel de Tucumán, sua cidade natal. Tornou-se um dos principais expoentes do movimento “Nuevo cancioneiro”, que promovia o resgate das raízes da música folclórica e denunciava as injustiças da América Latina.

Sua versão da música “Gracias a la vida”, de autoria de Violeta Parra, virou uma espécie de hino para militantes de esquerda de todo o mundo, especialmente durante a ditadura militar argentina. Morreu aos 74 anos, deixando um legado irretocável de talento, orgulho de suas raízes e inspiração política.

#3 Maria Bonita: a primeira mulher cangaceira

Achou que nossa lista deixaria de contemplar ao menos uma das admiráveis mulheres brasileiras? Maria Bonita, primeira mulher cangaceira e considerada por muitos como polêmica, representa nosso país com igual força.

Nascida no município de Paulo Afonso, na Bahia, em 1911, vivia no sítio dos pais até aceitar o convite de Lampião para integrar seu bando de cangaceiros, aos 18. Enfrentando com bravura todas as dificuldades da vida no cangaço durante quase uma década, Maria Bonita teve com seu companheiro Lampião uma filha: Expedita. Morreu aos 27 anos, em Sergipe, degolada após ter sido capturada pela polícia.

Associada a assassinatos e outras torturas brutais por alguns e considerada ícone da resistência nordestina por outros, uma coisa não se pode negar: Maria Bonita era, de fato, uma mulher latina porreta!

#4 Shakira: talento que conquistou o pop mundial

Cantora, compositora e instrumentista colombiana aclamada mundialmente. Nascida em Barranquilla em 1977, a artista é muito mais do que um rosto bonito e um movimento inacreditável de quadris que a mídia mostra.

Shakira escreveu sua primeira canção com nada menos do que 8 anos de idade. Lançando seu primeiro álbum com apenas 13 e o segundo aos 15, foi aos 19 que a colombiana alcançou projeção internacional, ao fazer a turnê do álbum “Pies Descalzos” nos EUA.

Com milhões de discos vendidos e um patrimônio considerável conquistado com muito trabalho, Shakira ainda criou a fundação Pies Descalzos, em 1997, para dar assistência a crianças carentes na Colômbia. Quer mais? Inteligentíssima, ela ainda fala vários idiomas: espanhol, português, inglês, italiano, francês e árabe.

E então, alguma dúvida de que esses quatro nomes correspondem a mulheres latinas porretas? Lembra de mais alguma? Compartilhe com a gente nos comentários e não deixe de curtir nossa página no Facebook.

Foto: divulgação campanha Pandora Joalheria

3 Comentários

  1. Gostei muito do que li aqui no seu site.Estou estudando o assunto,Mas quero agradecer por que seu texto foi muito valido. Obrigado 🙂

  2. Oi pessoal
    Esse site é mesmo surpreendente, queria dar os parabéns pelo trabalho de vocês.
    Sempre é bom obter novos conhecimentos, obrigado 😉

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.