Verão, férias, biquíni, bons drinks, diversão e…lugares lotados! É assim que costuma ser nas cidades mais baladas neste período do ano. Se você não foi, com certeza tem algum amigo que já marcou presença nas cidades praianas mais conhecidas, como Florianópolis, Ilhabela, Guarujá, Rio de Janeiro, Arraial do Cabo, Maceió, Natal e Porto Seguro. Aqui no velho oeste, é tradicional entre muitas famílias investir as economias em pacotes de viagem para Balneário Camburiú (SC) e, como se não bastasse a praia e a cidade completamente lotadas, você ainda pode encontrar seu vizinho peludo de sunga.

Alguns outros locais que até então eram bem calmos, também caíram nas graças da mídia e recebem milhares de turistas nesta época, como o Jalapão (TO) e Capitólio (MG), lugares com cachoeiras de tirar o fôlego e muitas atrações de água doce. Mas que, depois de ganhar os holofotes, também ampliaram o turismo e o número de visitantes.

Até aí nada de errado, já que tem muita gente que busca justamente o agito das praias e cachoeiras e uma vida noturna badalada. Mas, se você quer um pouco mais de calma e descanso ou até mesmo conhecer lugares menos explorados e com mais belezas naturais, esse post pode te ajudar. Ah, e não se esqueça que 2020 terá o dobro de feriados prolongados pra você aproveitar.

Selecionamos 5 lugares pouco conhecidos no Brasil que você pode incluir no seu roteiro de férias ou planejar com mais calma para os próximos meses, antes que virem modinha:

1. Nobres (MT)

Nem só de Bonito (MS) vive o centro-oeste. Ali do lado, no Mato Grosso, a tímida e exuberante cidade de Nobres chama a atenção.
Se você curte o contato com a natureza e quer aproveitar um ecoturismo mais em conta e menos explorado pelo ser humano, essa cidade com ar de interior é o lugar ideal.

Os rios possuem água cristalina e as cachoeiras e grutas tiram a zica só de olhar. A 150 km de Cuiabá, o período mais indicado para a visita é de abril a setembro, quando há menos chuvas e menos risco de ser vítima de uma tromba d’água, mas há quem prefira os períodos com mais água, com as cachoeiras mais exuberantes e a mata verdinha.

Poucos dias são necessários para conhecer os pontos principais, como O Aquário Encantado, um lugar escondido na mata com águas azuis e diversidade de peixes, que você pode conferir com um snorkel de pertinho dentro da água. Tem também a cachoeira Serra Azul, na cidade vizinha de Rosário Oeste, com uma queda d´água de 45 metros e um lindo lago cheio de peixes.

O Aquário Encantado fica no meio da floresta. (Divulgação)

Você também pode ir na Lagoa das Araras para contemplar o por do sol e a diversidade de aves; no Balneário Estivado, onde tem uma prainha formada por uma lagoa, ou fazer mergulho no rio Triste. Se gosta de aventura, pode ir a pé ou de boia cross para a Gruta Duto do Quebó, que tem um túnel de 280 metros de cumprimento.

A maioria das atrações fica em propriedades privadas em que cobram a entrada, mas ainda pode ficar mais em conta a hospedagem do que nos lugares tradicionais.

2. Ilha de Superagui (PR)

A 158 quilômetros da capital paranaense, este destino possui paisagens naturais e uma comunidade rústica e menos populosa do que os locais próximos. Com 38 quilômetros de costa, a praia Deserta é a maior, onde pode-se caminhar ou andar de bike por horas seguidas.

O local conta com o Parque Nacional de Superagui, uma área preservada com espécies que sofrem risco de extinção e raras, como o mico-leão-da-cara-preta e o papagaio-da-cara-roxa. Além disso, entre os meses de março e abril, ocorre a migração de aves dos países nórdicos para a ilha, e você pode encontrar espécies das mais variadas cores.

O Parque Nacional de Superagui tem espécies raras e vegetação preservada. (Divulgação)

O Parque também foi eleito Patrimônio Natural da Unesco em 1999, já que além da exuberância dos animais, ainda tem grande quantidade de árvores, como jacarandas, ipês, figos, orquídeas, caxetas, jevirás e palmeiras.

Para chegar à ilha, pode-se pegar um barco em Paranaguá e viajar por três horas, onde já começa o passeio. O destino fica no município de Guaraqueçaba, perto da divisa entre os estados do Paraná e São Paulo

3. Parque Nacional da Chapada das Mesas (MA)

Localizado no sul do Maranhão, o Parque Nacional da Chapada das Mesas possui 160 mil hectares de Cerrado e conta com inúmeras quedas d’água de tirar o fôlego, como a Cachoeira de Santa Bárbara, a mais alta do complexo, com uma queda de 70 metros de altura.

A queda fica no município de Riachão, onde você também encontra cinco cachoeiras incríveis, além do Encanto Azul e Poço Azul, duas piscinas naturais de água cristalina que se distanciam por 6 km uma da outra.

O Poço Azul tem águas cristalinas e perfeitas para banho.                              (Foto: Maladeaventuras.com)

O cerrado ainda possui florestas de buritizais, sertões e relevo de chapadas vermelhas, que compõem um estonteante conjunto de curiosas formações rochosas, cânions e cavernas.

As cachoeiras de São Romão, em Carolina e a Cachoeira da Prata, onde se pode praticar rappel e canionismo também se destaca por sua grandeza, mas outras atrações como o trekking até o Morro das Figuras, com inscrições rupestres e as trilhas ecológicas como a que leva até o Morro do Chapéu não deixam nada a desejar no quesito aventura.

Os aeroportos mais próximos são em Araguaína (TO), a 150 km e Imperatriz (MA), a 215 km do Parque Nacional. Os complexos de cachoeiras e as piscinas naturais cobram a entrada.

4. Pancas (ES)

A 180 km de Vitória, você pode encontrar o paraíso do turismo de aventura e das belas paisagens na cidade de Pancas. O local é cercado por montes e montanhas dos mais variados formatos, que formam os Pontões Capixabas com montanhas de mais de 700 metros de altura.

A cidadezinha tem trilhas, cachoeiras, turismo de aventura e rampas de vôo livre, como a Clementino Izoton, conhecida também como Rampa da Colina, que possui 565 metros de altitude, excelente para a prática de vôo livre e contemplação dos morros e uma magnífica vista de toda a cidade. O local sedia a etapa Capixaba de Vôo Livre e recebe praticantes de asa delta e parapente de todo o mundo.

Monumento Natural dos Pontões Capixabas (Foto: IcmBio)

Quem vai conhecer Pancas não pode deixar de lado uma visita à Pedra da Agulha, que fica a apenas 3 km do centro e é uma das maiores montanhas do Brasil (500m) e com a escalada mais difícil, indicada somente para os profissas, mas há também uma trilha que vai até a base da pedra, com duração de uma hora e meia de puro visual. A Pedra da Gaveta também é curiosa, pois tem um enorme buraco perto de seu topo, por isto leva este nome.

As cachoeiras do Bassani, que tem uma grande queda que termina em um poço, da Breda, da Santa Ana, do Moraes, que possui águas rasas para o banho e do São Luís são alguns dos destaques paradisíacos da região.

5. Areia Branca (RN)

O vilarejo e praia Ponta do Mel no município de Areia Branca é o único lugar em que o sertão encontra-se com o mar. O local é rodeado por falésias coloridas, dunas de areia claras e rosadas, voltadas para as águas marítimas.

Dunas claras e rosadas permeiam o mar no Maranhão. (Foto: Delson Cursino)

O local é pouco conhecido, até mesmo pelo povo potiguar e se destaca pela produção de sal e por sua vila de pescadores super gente boa. A cerca de três quilometros da vila, uma trilha pela vegetação de caatinga leva até as Três Cruzes, que foram colocadas durante a gravação do filme Maria Mãe de Deus, em cima de uma falésia enorme que dá vista para a praia da Ponta do Mel, a vila, o Farol e as Dunas do Rosado. Você pode pegar uma trilha na beira do abismo que leva até o Farol, que está lá desde o século 19 e possui uma vista magnífica.

E aí, bora comprar a passagem?

Conta pra gente se você também tem um secret point pra indicar pros amigos cabróns.

Acompanhe a DECABRÓN no InstagramFacebook ou compre online e receba em casa. 

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.