Curte pimenta? Saiba como plantar na sua casa!

23 de agosto de 2017
|

Há mais de vinte espécies de pimentas no gênero Capsicum, mas apenas cinco são normalmente cultivadas. Os frutos de sabor picante são muito apreciados na culinária de várias regiões do mundo, mas nem todos os cultivares produzem as substâncias que geram a sensação de ardência ou as produzem em quantidade suficiente para deixar o fruto picante. Os cultivares cujos frutos não são picantes, são conhecidos como pimentas doces, que apesar do nome, não tem um sabor adocicado, apenas não possuem sabor picante. Os pimentões ou pimentos são pimentas doces de uma das espécies de pimenta. A pimenta também é muito usada para fins medicinais e há muitos cultivares de pimenta que são cultivados como plantas ornamentais.

 A capsaicina e algumas outras substâncias relacionadas denominadas capsaicinoides são as responsáveis pela ardência destas pimentas. Estas substâncias, que estão presentes apenas nos frutos e não estão presentes nas sementes, ativam sensores nervosos sensíveis ao calor e a abrasão, daí surgindo a sensação de ardência, sem provocar qualquer real queimadura no corpo. Em quantidades moderadas, sua ingestão pode levar a uma sensação de bem-estar, graças às endorfinas produzidas pelo sistema nervoso central como resposta ao estímulo gerado pela presença destas substâncias. Mas a pimenta também pode facilmente produzir sensações muito desagradáveis, tanto quando ingeridas quanto quando manuseadas. Beber leite é uma maneira efetiva de aliviar a ardência exagerada no sistema digestório. Ingeridas em quantidades exageradas, podem provocar problemas de saúde, como náuseas, dor abdominal e diarreia.

Um dos fatores que determina a ardência é a concentração de capsaicina e outros capsaicinoides no fruto. Cada uma destas substâncias provoca um efeito e uma sensação de ardência ligeiramente diferentes. Assim os cultivares de pimenta podem ser mais ou menos picantes, e mesmo pimentas diferentes que estão na mesma escala de ardência podem produzir sensações diferentes, dependendo de quais destes alcaloides estão presentes e de suas respectivas concentrações. 

Quer plantar diferentes tipos de pimenta na sua casa? Confira já as dicas do Plantei, site especializado em agricultura doméstica: 

Clima ideal

         A faixa de temperaturas que vai de 16°C a 34°C é adequada para a maioria das espécies e cultivares. A maioria das pimenteiras são plantas tropicais ou subtropicais e crescem melhor em clima quente, mas as pimenteiras da espécie Capsicum pubescens e alguns cultivares de outras espécies que são adaptadas a regiões de clima mais ameno, crescem melhor com temperaturas abaixo de 26 °C. Nenhuma destas pimenteiras pode suportar baixas temperaturas e geadas.

      Outro fator importante é a umidade relativa do ar. Algumas pimentas, como a Habanero e a Scotch bonnet preferem um clima úmido. Outras como a Jalapeño e a pimenta-de-caiena preferem um clima mais seco.

Luminosidade

      A pimenteira cresce melhor em condições de alta luminosidade, com sol direto.

Em relação ao solo

      O ideal é que o solo seja leve, bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica. Quanto ao pH do solo, as pimenteiras geralmente toleram um pH entre 5 e 8. O ideal é um pH entre 6 e 7,5 para Capsicum annuum e um pH entre 5 e 6 para Capsicum chinense.

Quanto a irrigação

      A pimenteira deve ser irrigada com frequência para manter o solo úmido, mas nunca deve permanecer encharcado.

Plantio

      As sementes de pimenta podem ser semeadas diretamente no local definitivo, mas o mais comum é semear em sementeiras, copos ou saquinhos de plástico ou papel. As sementes devem ficar a aproximadamente 0,5 cm de profundidade no solo. As sementes também podem ser colocadas sobre papel mata-borrão ou outro papel absorvente, mantido sempre umedecido e em local aquecido, até a germinação, quando são então transferidas com cuidado para o solo e cobertas com uma leve camada de terra peneirada.

      No solo as sementes germinam geralmente em 1 ou 2 semanas, mas as sementes de alguns cultivares podem apresentar dormência e podem levar um longo tempo para germinar. O transplante para o local definitivo é feito quando as mudas atingem de 8 a 10 cm de altura.

      O espaçamento recomendado varia com o porte da pimenteira e com as condições de cultivo. Geralmente o espaçamento adequado se encontra entre 20 cm e 60 cm entre as plantas, com linhas de cultivo espaçadas de 60 cm a 120 cm.

       A pimenta pode ser cultivada facilmente em vasos, mas estes devem ter um tamanho apropriado ao porte da pimenteira que será cultivada. Se quiser utilizar vasinhos personalizados, a Plantei lançou modelos exclusivos para plantar pimentas, com sistema de autoirrigação, confira aqui.  

Tratos Culturais

      É importante lembrar de sempre retirar as ervas invasoras que estiverem concorrendo por recursos e nutrientes.

      Alguns cultivares precisam de tutoramento para as plantas não tombarem. Neste caso, amarre as plantas a estacas de madeira, mas sem restringir o crescimento dos caules.

      É muito importante usar luvas na colheita ou manuseio dos frutos de cultivares picantes. Se as pimentas forem manuseadas sem luvas, não toque nos olhos, nariz, boca ou outras partes do corpo sem antes limpar muito bem as mãos. Água não é eficiente para retirar a capsaicina da pele, pois esta substância não é solúvel em água. Contudo, é solúvel em álcool e em óleo.

Chegamos então a colheita

     A colheita das pimentas inicia-se geralmente de 80 a 150 dias após a semeadura, dependendo do cultivar e das condições de cultivo.

       A pimenteira é uma planta cultivada geralmente como anual, mas é uma perene de vida curta e em condições adequadas pode produzir bem por alguns anos.

E você, gosta de pimentas? Pronto para cultivar estas saborosas delícias? Aprenda a utilizar em suas receitas

 

© COPYRIGHT | DE CABRÓN CHILLIS. Material protegido pela Lei nº 9.610 (direito autoral), é proibida a cópia ou reprodução do material, sem autorização prévia. Envie para sac@westco.com.br com pedido de autorização.