Qualquer pessoa que seja um boa apreciadora de bebidas sabe que o whisky não para qualquer um. Com um teor alcoólico altíssimo, a bebida, que era conhecida como remédio na Escócia do século 15 e foi a favorita dos cowboys no velho oeste, desce queimando a garganta como pimenta. Seja pelo desafio ou pelo sabor inconfundível, a verdade é que o whisky caiu nas graças do público masculino.

Então, se você é daqueles que não dispensa um, conheça agora os principais tipos de whisky para você apreciar!

Características gerais

Por definição, whisky é uma bebida destilada de grãos do malte da cevada ou centeio, normalmente. Porém, esse conceito generalista passa longe de descrever bem essa bebida tão foda, já que ela pode ter inúmeras variações. Cada whisky vai variar dependendo de 4 características principais: o processo de produção, o seu tempo de maturação, o grão utilizado e a região onde foi produzido.

Os principais países produtores de whisky são a Escócia, a Irlanda, os EUA, o Japão e o Canadá. Cada um deles tem um estilo diferente de produção, o que resulta em diferentes versões da bebida. Para que um rótulo de whisky possa ser nomeado de acordo com um desses tipos, ele precisa atender a alguns padrões já predefinidos, como veremos a seguir.

Os principais tipos de whisky

Scotch

O whisky da Escócia é o mais tradicional dentre todos os tipos de whisky por ser o mais antigo. Ele é produzido a partir da cevada ou de grãos maltados, devendo ser duplamente destilado e envelhecido em barris de carvalho por no mínimo 3 anos. Esse processo pode até ser repetido em qualquer destilaria o mundo, porém, para a bebida ser considerada oficialmente um Scotch, deve ser destilada e maturada na Escócia.

O tipo Scotch pode ser subdividido em whisky “de grão”, aquele cujo principal ingrediente é o milho ou o trigo; “single malt”, que se refere ao whisky de uma única destilaria feito usando cevada, água e levedura; e, por fim, o “blended”, que é aquele obtido a partir da mistura de whiskies de malte único ou de grão.

Irish

Esse é o tipo de whisky produzido na Irlanda, seja em qualquer um dos seus 2 países. Aqui, a bebida é produzida a partir de uma mistura de cevada não defumada e nem tostada, o que garante um sabor mais frutado e levemente apimentado.

É o ideal para quem quer pegar leve. Por ser triplamente destilado, ele é bem mais suave que o Scotch.

Bourboun

O Bourboun é um whisky produzido exclusivamente nos EUA e era a bebida mais pedida no faroeste norte-americano. As regras que regem sua produção são menos rígidas que a do Escocês. As únicas características obrigatórias são que ele deve ter o milho como no mínimo 51% dos grãos maltados e ser produzido inteiramente nos EUA.

Tennesse

Essencialmente, esse estilo é igual ao Bourbon, com praticamente a mesma composição, sendo também norte-americano, embora de outra região. A principal diferença entre os dois está na inclusão da filtragem de carvão no processo de pós-destilação do whisky Tennesse.

Esse estilo é praticamente dominado por um único produtor: a marca Jack Daniel’s.

Japônes

O tipo Japonês é o mais novo dentre os whiskys. Ele vem ganhado bastante destaque ultimamente, tendo uma de suas marcas, inclusive, vencido o título de melhor do mundo em 2014. O whisky Japonês tem inspiração escocesa, com a diferença de ter um processo de destilação mais prolongado e utilizar barris de carvalho japonês na fase de maturação.

Rye

O Rye é fabricado principalmente na América do Norte e o grão base utilizado na sua produção é o centeio. Nos EUA, ele deve ser feito a partir de uma mistura de grãos maltados que seja formado por pelo menos 51% de centeio. Já no Canadá, essa regra é menos rígida, portanto pode ter uma menor quantidade de centeio.

Esse tipo tem um sabor mais apimentado e frutado, ideal para fazer coquetéis e drinks.

Curtiu as dicas? Então, agora que você já sabe tudo sobre os tipos de whisky, que tal conhecer outras bebidas não tão tradicionais? Descubra agora 4 drinks com molho de pimenta!